Em uma notícia triste para a comunidade de games e e-Sports, a jogadora VikkiKitty, de Super Smash, revelou que foi molestada pelo também jogador mexicano Cristian“Hyuga” Medina.

Segundo o relato, Vikki e seu namorado decidiram acolher Hyuga em seu quarto no hotel após o jogador ficar muito bêbado. Entretanto, no meio da noite, Vikki acordou com Hyuga ao seu lado na cama, se esfregando e passando a mão em seu corpo.

Após gritar com ele, um outro jogador acordou e trocou de cama com Vikki. Não adiantou, pois Hyuga foi atrás da jogadora na outra cama para tentar novamente o mesmo ato, terminando por ser expulso do quarto. Ainda de acordo com o relato, Vikkiabriu um boletim de ocorrência na polícia local.

Tentando se defender, Hyuga pediu desculpas e colocou a culpa no álcool, além de solicitar que a jovem não fosse à polícia pois isso poderia impedir que ele voltasse aos Estados Unidos para outros campeonatos. Em seguida, o jogador afirmou que ele mesmo decidiu não voltar aos EUA para futuros torneios e excluiu seu Twitter.

Por conta do ocorrido, Hyuga foi retirado do time de patrocinados da VGBootCamp, que havia acabado de contratá-lo. Além disso, grande parte da comunidade de Smash mostrou apoio a Vikki – incluindo o organizador brasileiro TOGOPuff, que publicou que a cena brasileira abomina esse tipo de comportamento e que Hyuga está banido de eventos por aqui.

Marcus Vinícius “mcs33” Oliveira e Anderson “dede” Ogura, membros da comunidade brasileira de Super Smash pelo 1UpSmash e Team DASH, afirmaram que TOGOPuff não é um organizador de evento reconhecido pela comunidade e que o banimento de Hyuga ainda está sendo decidido em conjunto por todos os envolvidos.

Segundo mcs33, a comunidade brasileira está aguardando um comunicado oficial da comunidade norte-americana (da qual o jogador fazia parte) para fazer sua decisão definitiva, que pode envolver um banimento permanente ou um de 6 meses a 1 ano. Além disso, o organizador informou que Hyuga nunca veio ao Brasil para campeonatos realizados por aqui.