Jogando pela primeira vez no pacth 6.10 a INTZ não se deu conta do “supertime” que a RED montou, com Felipe “Yoda” e Hugo “DIOUD” e não só venceu com autoridade, como destruiu um pouco da moral da equipe que até 2015 era sua irmã.

Com duas partidas claramente dominadas e finalizadas por volta dos 33 minutos os intrépidos contabilizaram cinco pontos na competição, mantiveram sua invencibilidade e seguem sólidos, mesmo utilizando o mesmo estilo de jogo que todos nós já conhecemos, agressivo, veloz e cheio de rotações para capitalizar abates e objetivos.

Para os dois jogos a ideia da INTZ foi pressionar seus inimigos com uma composição de cerco – proposta de time que tem como objetivo cercar seu oponente, seja com campeões de poke, ou com zonas de controle de grupo – com isso os intrépidos soltaram todas suas cartas, Azir, Vicktor, Nidalee, Rek’sai, Ezreal, Karma, Sivir. Utilizando estes campeões, nos dois jogos a equipe de Gabriel “Revolta” conseguiu forçar lutas em todos os cantos e dominar os dragões nas duas partidas. No total foram oito dragões para os intrépidos contra um da equipe de Yoda, que pareceu muito perdida em ambas partidas.

Em um confronto em que uma equipe é claramente superior que a outra, espera-se algo novo da equipe menos favorita, talvez uma nova estratégia ou campeões com propostas diferentes. O que pode ser feito não importa, mas o ideal é tirar algum coelho da cartola e foi justamente isso que a RED não fez. A equipe não só jogou um feijão com arroz mal executado, como fez escolhas de campeões muito previsiveis. Alguns exemplos foram, Elise e Gragas para Yoda, Poppy e Zed para Ayel e Alistar para o suporte Dioud.

Agora, a RED – que até o momento vem se provando a pior equipe da competição – pega, no próximo domingo a recém chegada ao CBLoL, BIGGODS na disputa que promete constatar se ela é ou não o pior time da competição. Já a INTZ tem pela frente a OPK, também no domingo.