Para comemorar o aniversário de 30 anos da Ubisoft, o Ubisoft Club está te oferecendo sete jogos digitais para PC. Todo mês um novo jogo será revelado e estará de graça para download.

Link para o game!

 

Rápido, o jogo está disponível por tempo limitado.

 

Abaixo temos uma análise do game!

Há muito tempo atrás, em uma terra muito distante, uma princesa de um reino árabe foi ameaçada por um vizir que queria se casar com ela. Com a morte de seu pai, o amante da princesa era sua única esperança, mas ele foi jogado na masmorra do castelo.

Assim começava um dos grandes clássicos dos games, “Prince of Persia”. Usando figuras copiadas de pessoas reais para garantir animação realista e com uma trama levada tão à sério quanto a ação, a obra-prima de Jordan Mechner se tornou famosa. Agora a Ubisoft ressuscita a série com um jogo 3D à altura do original.

Felizes para sempre

“The Sands of Time” é muito mais do que um jogo de ação. Resgatando o charme das 1001 Noites, toda a ação é narrada pelo protagonista como se este estivesse recontando sua história. O game fala das aventuras de um jovem príncipe arrogante que acaba de participar de sua primeira conquista com seu pai – e toma como tesouro um artefato único: a Adaga do Tempo. Ele acaba pisando nos pés do vizir malvado, que planejava usar a faca para liberar as areias do tempo e… Bem, o resto você deve descobrir por conta própria no decorrer da aventura.

Assim como o príncipe do primeiro jogo era um jovem bastante atlético, esse herói conta com seu domínio da espada e capacidades acrobáticas que o transformam numa espécie de ninja árabe. Ele é capaz de andar em paredes, dar enormes saltos sobre monstros e saltar de paredes com pouco esforço. Tudo isso é realizado com a ajuda de um sistema de controle incrivelmente intuitivo e que funciona perfeitamente nos joypads dos consoles ou com mouse e teclado.

Mas quase todas as aventuras que lidam com civilizações antigas acabam esbarrando em gigantescos mecanismos de segurança e armadilhas engenhosas, e “Sands of Time” não é exceção. Os muitos quebra-cabeças da aventura envolvem máquinas que remetem aos filmes de Indiana Jones, mas com o sabor persa que se espera da série. Reflexos rápidos, criatividade e paciência são elementos cruciais para chegar ao fim da aventura.

Faca com botão Rewind

Além desses elementos mais básicos, o game traz duas opções extras que podem não ser inéditas, mas completam a fórmula como se jamais tivessem existido separadamente. O primeiro são os poderes da adaga, que permitem que o príncipe retroceda no tempo (para desfazer aquele salto mortal que… bem, resulta na sua morte), congele inimigos, deixe a ação em câmara lenta, veja o futuro e se torne mais rápido que seus inimigos. A segunda é a presença de uma misteriosa garota que ajudará o príncipe, mas que deve ser escoltada em segurança no melhor estilo de “Ico” (PS2), com a exceção que seu domínio do arco e flecha faz dela uma excelente lutadora.

As capacidades acrobáticas do príncipe praticamente já garantem o game por conta própria, mas o design de cada sala é uma homenagem ao título que deu origem à série, e são apresentados com um visual magnífico. Em termos técnicos, o jogo impressiona com seus visuais e sons – especialmente a narração do protagonista, que ajuda ainda mais na imersão.

Surpresas em cada versão

As diferentes versões do game escondem suas próprias surpresas, e fãs dos games originais não ficarão decepcionados. Além de um vídeo de Making Of, surpresas incluem versões originais de antigos games da série e até uma reprodução em 3D de uma das fases antigas.